Siga nas Redes Sociais.

Política

Prefeitura do Cabo inaugura viaturas doadas pelo Governo Federal

Publicado

em

São 17 carros para auxiliar no fortalecimento da segurança e combate à criminalidade no município.

A Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho inaugurou hoje 17 viaturas doadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Destas, serão cinco para ronda ostensiva, quatro para guarda patrimonial, uma para guarda ambiental, cinco para guarda de trânsito e duas para a Maria da Penha.
A aquisição aconteceu através da emenda de número 71180005 que totaliza R$ 18,8 milhões. Nela, cada deputado federal recebeu uma cota de viaturas para distribuir aos municípios. Os parlamentares Betinho Gomes, Eduardo da Fonte e Fernando Filho (este que esteve entregando viaturas em outros municípios) destinaram carros para o Cabo de Santo Agostinho.
No total, Pernambuco recebeu 280 viaturas para as guardas de 49 municípios. Todos os carros são Jeeps do modelo Renegade e foram fabricados em Pernambuco.

Continuar Lendo
1 Comentário

1 Comentário

  1. J Gomes

    10 de julho de 2020 às 14:55

    Esse prefeito Lula Cabral ta querendo tirar proveito do trabalho dos outros, ele ta divulgando que foi ele que trouxe as viaturas esse infeliz mentiroso!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Pais e professores de creches protestam em frente à prefeitura do Cabo

O grupo é contra a suspenção de convênio da gestão municipal com 13 instituições de ensino infantil.

Publicado

em

Na manhã desta terça-feira (28), professores e pais de crianças matriculadas nas creches do Cabo de Santo Agostinho realizaram um protesto em frente à prefeitura. Eles afirmam que a atual gestão do município suspendeu o convênio com as 13 instituições de ensino infantil. O anúncio do rompimento ocorreu no último dia 12.

Com faixas e cartazes, o grupo sugere a criação de um termo que estende os contratos e financiamento das instituições até o fim de 2020. Já a prefeitura, alega que não tem recursos para manter o convênio, um investimento de R$ 301.060,14 por mês.
Ao todo, 13 instituições situadas de Pontezinha a Jussaral atendem 1.140 crianças entre 3 e 6 anos e empregam 110 profissionais. Algumas das instituições têm mais de 20 anos de trabalho.

Apesar de os estabelecimentos não funcionarem durante a pandemia do Covid19, os pais explicam que os alunos receberam kits de alimentação no mês de abril e auxílio financeiro de R$ 46 em maio.

Continuar Lendo

Geral

Vice-prefeito do Cabo tem gabinete furtado

Keko do Armazém prestou queixa hoje(15) pela manhã e fez vídeo onde afirma que o crime foi perseguição política

Publicado

em

O vice-prefeito e pré-candidato a prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Keko do Armazém, teve seu gabinete furtado. Chegando ao escritório, na manhã de hoje (15), ele se deparou com a sala revirada e vários pertences pessoais e materiais do local faltando. Não havia sinais visíveis de arrombamento.

O vice-prefeito gravou um vídeo [assista acima] onde afirma que o crime foi causado por perseguição política pelo atual prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Lula Cabral. Ele afirma que, além do furto no gabinete, já lhe foram tirados cargos de direito e outros benefícios.
Foram furtadas várias cadeiras, duas mesas, uma pasta com documentos, agenda, dois carregadores, um relógio e um chaveiro. O gabinete é situado no Centro Administrativo Municipal 1 (CAM1). O vice-prefeito prestou queixa na Delegacia do município.

Continuar Lendo

Educação

Alegando falta de recursos, prefeitura rompe com creches do Cabo

As unidades atendiam mais de 1000 crianças de 2 a 6 anos e algumas instituições prestavam serviços a mais de 20 anos

Publicado

em

Cerca de 50 profissionais de creches do Cabo de Santo Agostinho protestaram na manhã de hoje (13), no Centro do Cabo, contra a quebra do convênio entre a Prefeitura e 13 instituições do município. Eles tiveram uma reunião na Secretaria de Educação e, após não terem uma resolução, caminharam para o Centro Administrativo Municipal (CAM1).
Algumas das instituições têm mais de 20 anos de trabalho no município e receberam a notícia do rompimento ontem (12). A prefeitura alega que não tem recursos para manter o contrato, que é de R$ 301.060,14 por mês.

As creches estão situadas de Pontezinha a Jussaral e recebiam o incentivo da municipal para manter o funcionamento. Com a quebra de contrato, mais de 100 profissionais ficarão desempregados e mais de 1000 crianças, entre dois e seis anos, perderão a assistência.

Continuar Lendo

Tendência